Novo Concurso PM-AM 2019 – Escolha da Banca Organizadora


Certame depende apenas da escolha da organizadora para acontecer.

Novo certame público, de alta categoria, está próximo de ter seu edital definitivo publicado.

Trata-se do processo seletivo para provimento de cargos no departamento da Polícia Militar do Estado do Amazonas (PM-AM), que está programado para realização a partir do segundo semestre deste ano de 2019. Até o presente momento, este novo concurso contemplará em torno de 681 postos efetivos e aguarda somente a determinação da instituição que atuará como banca organizadora.


Do total de postos a serem disponibilizados, 20 vagas serão destinadas ao cargo de oficial combatente ou para aluno oficial combatente; serão 20 vagas destinadas ao cargo de oficial da saúde ou para aluno oficial da saúde; serão 20 vagas destinadas ao cargo de cabo especialista em música ou para aluno cabo; serão 20 vagas destinadas ao cargo de cabo especialista em saúde ou para aluno cabo. As demais 601 vagas se destinam ao cargo de soldado combatente, ou aluno soldado.

Com relação ao posto de soldado, o mesmo está reservado aos profissionais que possuem certificado de ensino médio, ao passo que a função de oficial tem requisito de nível médio e (ou) superior, em conformidade com a especialidade disponível.

Com relação à função de Cabo, o grau de escolaridade exigido ainda não foi anunciado. Sobre os vencimentos, até o presente momento não foram revelados valores, por meio do órgão. Entretanto, a comissão que organizará este concurso já está definida, desde o ano de 2018.



O histórico do último concurso para cargos na Polícia Militar registra o seguinte:

Foi realizado no ano de 2011 e consistiu em um processo seletivo que disponibilizou em torno de 2.473 postos efetivos, dos quais 2.000 vagas foram destinadas à função de soldado; 29 vagas reservadas para a função de praça especialista; 39 vagas destinadas à função de oficial de saúde e as demais 405 vagas para a função de oficial combatente.

Aquele mesmo certame público foi regido pela banca organizadora que, na ocasião, estava nas mãos da Fundação Instituto Superior de Administração, ou Isae.

O cargo de soldado estava reservado aos candidatos de nível médio; o valor do vencimento iniciou em 1.104 reais, ao longo do curso de formação atingiu o teto de 1.637 reais, com a conclusão do mesmo.

O cargo de oficial combatente estava reservado, de modo distributivo, da seguinte maneira: 167 vagas destinadas para os concorrentes participantes do curso de formação em oficial PM; 188 vagas destinadas às pessoas munidas de graduação em direito e 50 vagas destinadas aos candidatos munidos de ensino médio.

O cargo de oficial de saúde estava dispondo de18 vagas para a função de médico em diversas especialidades, sendo oito vagas para dentista, uma vaga para setor de veterinário, uma vaga para setor de farmacêutico-bioquímico, quatro vagas para a função de enfermeiro, cinco vagas para a função de psicólogo e as demais duas vagas para o setor de fisioterapeuta.

Aquele processo de seleção foi realizado dentro das seguintes etapas:

Iniciou pela prova objetiva; seguida do exame sobre a saúde; o teste de aptidão física; a análise psicológica; a necessária apresentação dos documentos; o curso de formação; as investigações: social, funcional, cível e também criminal.

Os cargos que abrangem funções diversas em praça especialista exigiram testes práticos.

As provas foram ministradas nas seguintes cidades: em Barcelos; em Boca do Acre; em Coari; em Eirunepé; em Humaitá; em Itacoatiara; em Lábrea; na capital Manaus; em Manacapuru; em Parintins; em São Gabriel da Cachoeira; em Tabatinga e na cidade de Tefé.

Paulo Henrique dos Santos

Compartilhar:


Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *